sexta-feira, 30 de março de 2012

Esquecer-te aos Pouquinhos




Tu queres que eu te esqueça de repente,
que esqueça de repente os teus carinhos,
eu que te venho amando aos bocadinhos,
desde quanto te era indiferente!
Deixa-me ir esquecendo lentamente,
voltando aos poucos sobre os teus caminhos,
arrancando um a um os teus espinhos,
até ver uma estranha à minha frente.

Dá-me um beijo de menos cada dia,
inventando um pretexto que sorria,
de maneira que eu saiba sem saber.

Pois queres que eu te esqueça de repente,
e nem sei se uma vida é suficiente
para, mesmo aos pouquinhos, esquecer!

(Giuseppe Ghiaroni )



O sultão se calava e escutava as suas palavras como se fossem música. A música dos sons ou da palavra - é a sexualidade sob a forma da eternidade: é o amor que ressuscita sempre, depois de morrer.

2 comentários:

  1. Como viver sem poesia, não é mesmo? Adooooro!
    Beijos meus!

    ResponderExcluir
  2. Olá, querida Soninha
    Ser poeta é exprimir, fielmente, o que se passa no coração em forma de versos...
    Bjm de paz

    ResponderExcluir