sábado, 21 de abril de 2012

Chegaste ao meu coração





Para que tentarmos qualquer explicação?

Sei que te tomarei nos braços como uma criança
e atenderei à súplica de teus olhos...

Sei que já agora, depois que chegaste ao coração,
seria impossível voltar...

E para que voltar? Que importa se viemos de longe
e se deixamos tanta coisa para trás?
Importa é que posso levar-te em meus braços,
dobrar a curva adiante, escalar a montanha,
para encontrarmos a paisagem nova
que será outro mundo...

Importa é que nos sentimos como se tudo começasse
agora, depois que és minha e eu sou teu,
e como se nada tivesse existido antes,
nada...
nem tu... nem eu...

(J. G. de Araújo Jorge)




Nenhum comentário:

Postar um comentário