domingo, 29 de abril de 2012

Metade de mim



METADE







Que a força do medo que eu tenho,
não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo o que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito,
mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe,
seja linda, ainda que tristeza...
Que a mulher que eu amo
seja pra sempre amada
mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
mas a outra metade é saudade...

Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece,
e nem repetidas com fervor,
apenas respeitadas,
como a única coisa que resta
a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço,
mas a outra metade é o que calo...

Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz que eu mereço
E que essa tensão
que me corroe por dentro
seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso
mas a outra metade é um vulcão...

Que o medo da solidão se afaste,
e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso,
que me lembro ter dado
na infância
Porque metade de mim
é a lembrança do que fui,
a outra metade
eu não sei...

Que não seja preciso
mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito.
E que o teu silêncio
me fale cada vez mais...
Porque metade de mim
é abrigo,
mas a outra metade
é cansaço...

Que a arte nos aponte uma resposta,
mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade
para fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia,
e a outra metade é canção...
E que a minha loucura seja perdoada,
Porque metade de mim é amor,
e a outra metade...
também...


(Oswaldo Montenegro) 

sábado, 28 de abril de 2012

Se tu Chegasses






"Se tu chegasses e me dissesses - vamos...
E as tuas mãos às minhas estendesses
Esse gesto talvez eu não entendesse
Porque jamais sonhei que o alcançasse
E... Se, suavemente, os teus olhos me olhassem
E só ternura neles eu visse
Neste momento, quem sabe,
Eu pedisse que os nossos rumos jamais se separassem
Se depois os teus braços me envolvessem
E nesse abraço o teu amor me desses
Talvez o próprio Deus me entendesse
E neste instante vida, "Ele" parasse..."



Sentir-me Amada




Você sabe que é amado(a) porque lhe disseram isso?

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida,
Que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo,

Que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas, e que dá uma sacudida em você quando for preciso.

Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás,

É ver como ele(a) fica triste quando você está triste, e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água.

Sente-se amado aquele que não vê transformada a mágoa em munição na hora da discussão.

Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro. Aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.

Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala;
quem não concorda, mas escuta.

Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!



(Arnaldo Jabor)

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Eu te Procuro e Você me Procura




Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas
quem estava procurando por você!

(Mario Quintana)

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Visão



Eu sou a que no mundo anda perdida,
eu sou a que na vida não tem norte,
sou a irmã do sonho, e desta sorte
sou a crucificada... a dolorida...
Sombra de névoa tênue e esvaecida,
e que o destino amargo, triste e forte,
impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...
Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber por quê...

Sou talvez a visão que alguém sonhou.
Alguém que veio ao mundo pra me ver
e que nunca na vida me encontrou.

(Florbela Espanca)




quarta-feira, 25 de abril de 2012

A Grande Viagem











"Talvez um dia te encontre, onde se fundem o céu e o mar.
Naquele lugar onde o sol e a lua se beijam, a cada despertar, a cada anoitecer.
Lá, onde o sol e as estrelas trazem brilho ao olhar, onde nasce a esperança, onde se esconde a dor.
Ao longe, de onde espreitam os sonhos, de onde vêem as ilusões.
Nesse dia talvez te encontre naquele lugar, tão longe e tão perto, como as estrelas que não consigo alcançar. No lugar para onde vamos à procura do incerto.
Um dia, depois de um tempo, eu e tu... No outro lado do mar."



terça-feira, 24 de abril de 2012

Esperança





ESPERANÇA

Só a leve esperança em toda a vida
disfarça a pena de viver, mais nada;
nem é mais a existência resumida
que uma grande esperança malograda.

O eterno sonho da alma desterrada,
sonho que a traz ansiosa e embevecida,
é uma hora feliz, sempre adiada
e que não chega nunca em toda a vida.

Essa felicidade que supomos
árvore milagrosa que sonhamos
toda arriada de dourados pomos

existe sim; mas nós não a encontramos,
porque está sempre apenas onde a pomos
e nunca a pomos onde nós estamos.

(Vicente de Carvalho)



segunda-feira, 23 de abril de 2012

Se Algum dia



"Se algum dia
A curva do tempo
Não auferir teus sonhos
E ferir teu corpo, tua alma,
Venhas, estarei te esperando.
Não me importa,
Terei sempre um gesto, um riso,
Para dar-te.

Terei sempre teu cheiro cativante
No ar que respiro
E nele
Um pedaço do meu corpo
Para te saciar.

Se algum dia
Ousadas pelos mistérios
Quiseres conhecer-me os caminhos,
Venhas, estarei te esperando
Serei o mesmo:

Talvez até me torne profeta
Por acreditar no braço do amanhã,
Mesmo sabendo
Que sequer uma dízima represento
Na lágrima que deixas cair
Sobre o travesseiro.
Mas choro contigo à distância.
Mas choro contigo cada momento,
Pois choro sozinho entre nós,
Uma vez que choro comigo mesmo.


Se algum dia vieres?...
Estarei te esperando
Em qualquer lugar
Que sabes onde me encontrar.

Estarei sempre poesando teu TODO
Noite em noite a vagar.
Um verso novo.
Um canto livre,
E quem sabe um violão a me acompanhar
Ladeado a mais um amigo, outro chope,
Outro bar, como a vida me anestesia
Por tua espera............chegares!

Se esse "algum dia"
Abraçar o "se algum dia"
E vieres, por favor,
Não traga palavras,
Traga somente aquele olhar
Naquele sorriso dengoso.
Nem chores o passado
Venhas, pois o passado
Estará te esperando
E largando tudo
Por tua chegada
Dizendo que:
Amar-te-ei eternamente".
 



sábado, 21 de abril de 2012

Chegaste ao meu coração





Para que tentarmos qualquer explicação?

Sei que te tomarei nos braços como uma criança
e atenderei à súplica de teus olhos...

Sei que já agora, depois que chegaste ao coração,
seria impossível voltar...

E para que voltar? Que importa se viemos de longe
e se deixamos tanta coisa para trás?
Importa é que posso levar-te em meus braços,
dobrar a curva adiante, escalar a montanha,
para encontrarmos a paisagem nova
que será outro mundo...

Importa é que nos sentimos como se tudo começasse
agora, depois que és minha e eu sou teu,
e como se nada tivesse existido antes,
nada...
nem tu... nem eu...

(J. G. de Araújo Jorge)




SER FELIZ




Ao ouvir seu coração, preste atenção ao recado,
pode ser que você tenha deixado de lado,
atitudes que valorizam a sua própria vida,
empurrando o destino para outras mãos,
abrindo caminho para o sofrer.

O coração responde de maneira discreta,
diferente da razão que grita e ordena,
o coração permite nossas viagens,
a construção de sonhos e até de castelos na areia,
porque sabe que muitos precisam dessa chama dos sonhos,
mesmo que as ondas venham derrubar o castelo,
ainda assim, resta a imagem do que é a felicidade.

Todos que experimentam, mesmo que por apenas um dia,
o amor e a conquista de um sonho, jamais esquecem,
é como doce que comemos na infância, é suave lembrança,
é meta que vira objetivo, é caminho que forma o destino.

Por isso, ao ouvir seu coração, preste atenção,
ele pode querer dizer: ame com paixão,
viva com intensidade, respeite-se sempre,
mas, nunca deixe de sonhar e acreditar,
sempre é tempo de recomeçar,
e ser feliz...

(Paulo Gaefke)



quinta-feira, 19 de abril de 2012

O Amor que não veio



O amor que não veio…

se acaso penso em ti, me inquieta o pensamento…
por que havias de vir assim tarde demais?
bem que eu tinha de há muito um cruel pressentimento,
– e há sempre um desespero em nós,
se num momento
desejamos voltar a vida para trás…

neste instante imagino o que teria sido
o meu vago destino desorientado,
se antes, eu já te houvesse um dia conhecido,
a esse tempo, meu Deus!...— e esse tempo perdido
pudesse ao teu convívio ter aproveitado!

não há nada entre nós, nada… e em verdade há a vida
que nos chama e nos prende!… e já agora imagino
que aqui estás ao meu lado a ouvir-me comovida
e me entregas a mão, — e entrego-te vencida
a minha alma, — e com ela todo o meu destino!

não há nada entre nós, — mas se nos encontramos
ouvirás de hoje em diante um poema onde tu fores,
– trouxemos o destino estranho de dois ramos,
separados, — que importa? ainda assim nos juntamos
confundindo as ramagens, misturando as flores…

e eu nem te vi direito! um olhar sob um véu,
(há qualquer coisa estranha num olhar velado…)
– um olhar, — não direi que em teu olhar há um céu,
quando sei que afinal há tanta angustia e fel
em tudo o que me tens da vida revelado!

acompanhei-te o vulto um segundo, alguns passos,
nada mais, e no entanto, se quiser pensar
sou capaz de te ver, (há gestos nos espaços,
e guardei a visão dos teus braços, — teus braços
guardei-os, como dois clarões dentro do olhar!)

e devem ser macias as tuas mãos, — não ouso
pensar no que elas guardem nos seus finos dedos,
– pensando em tuas mãos, penso em sombra, em repouso,
num lugar quieto e bom, e num vento amoroso
a soprar entre as folhas múrmuros segredos…

mas… que saibas perdoar estas coisas que escrevo,
pensei-as a escutar distante a tua voz,
e há algumas coisas mais, que a dizer não me atrevo,
é que escrevo demais, e não posso, e não devo,
e não tenho o direito de falar de nós…

(J.G. de Araújo Jorge)


Você






E ainda resta uma palavra,
uma única palavra em meio a tantas que dissemos,
nas juras que trocamos de fidelidade, eternidade.
Onde estão as palavras que compunham nosso soneto de amor?
Onde perdemos a poesia e nos atrapalhamos com as palavras?

Do amor que eu te dediquei, tenho ainda o gosto,
do
poema que me declamaste, entre beijos e chuva,
entre
lua e sorvetes, passeios e baladas,
restam fragmentos que não se soltam,
me sinto um bloco em pedaços, decomposto,
palavra sem acento, rima incompleta,
pronome indefinido solto pela frase,
frase que não termina,
amor que não se acaba
.

Já que somos parte de um romance,
vem terminar, vem colocar um fim,
não some assim não, meu coração não entende,
poesia incompleta, rima perdida,
abandono...

E, se não puder ter um final feliz,
que deixe pelo menos no ar,
o mistério dos romances inacabados,
onde o amor vira lenda,
história que o povo conta e encanta.

Se não formos eternos, seremos conto,
encanto de quem canta uma história de amor,
e amor é poesia que rima com vida,
vida que te dedico nessas palavras,
e quem sabe, sonhar meus sonhos,
nesse poema chamado: você!

(Paulo Roberto Gaefke)



terça-feira, 17 de abril de 2012

Segure-o




Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

( Fernando Pessoa )



domingo, 15 de abril de 2012

Queria






Queria compartilhar contigo
os momentos mais simples
e sem importância.
Por exemplo:
sair contigo para passear,
sentir-te apoiada em meu braço,
ver-te feliz ao meu lado
alheia a todo mundo que passasse.

Gostaria de sair contigo
para ouvir música, ir ao cinema,
tomar sorvete, sentar num restaurante
diante do mar, olhar as coisas,
olhar a vida, olhar o mundo despreocupadamente,
e conversar sobre "nós" – esse "nós" clandestino
que se divide em "tu e eu" quando chega gente.

Encontrar alguém que perguntasse:
"Então, como vão vocês?"
E me chamasse pelo nome,
e te chamasse pelo nome
e juntasse assim nossos nomes, naturalmente,
na mesma preocupação.

Gostaria de poder de repente te dizer:
Vamos voltar pra casa...
(Como se felicidade pudesse ser uma coisa
a que tivéssemos direito como toda gente)
Queria partilhar contigo os momentos menores
da minha vida,
porque os grandes já são teus.

(JG de Araujo Jorge)




sexta-feira, 13 de abril de 2012

Se Quiseres



...esta noite seremos
um canto gregoriano
o azul mediterrâneo
um esforço sobre-humano
uma estrada e seu atalho
uma valsa e seu compasso
uma dança
na esperança de que a noite
cheire a vinho e tenha gosto
e que o encontro seja um pacto
e tenha essência.

Se quiseres...

...esta noite teremos
nossa pele dedilhando suores
nossas mãos visitando os calores
nossas bocas cheirando sabores
nossa urgência implorando favores
nossa cama hospedando os clamores
nossos ais declamando os ardores
nosso amor desenhando os louvores.

Se deixares...

...esta noite veremos
os silêncios cantando sem palavras
os poemas tremendo de alegria
as estrelas gemendo sem vergonha
a emoção delirando docemente
a canção galopando sem arreios
a ternura gerando gestos quentes
eloqüentes
dementes
frementes
urgentes.

Se pedires...

...esta noite será então
um planeta sem fronteiras
a pergunta e a resposta
um delírio sem limites
dois amantes e seus jogos
o desejo realizado
um encontro
de mutantes sem idade
procurando sem receio
prometendo sem descanso
conjugando grito e eco
olho e brilho
dia e lua
uma rua e sua esquina
uma noite ensolarada
o deserto e seus camelos
vela e vento
cruz e espada.

Esta noite então...
se vieres e quiseres...
se deixares e pedires...
( Bruno Kampel ) 


quarta-feira, 11 de abril de 2012

SOLIDÃO



Tem dias que não dá de te agüentar não...
Em forma de percepção
leve ao coração daquele que amo os sentimentos
que neste momento tenho que ter suporte,
ser firme, ser forte.

Solidão,
tem dias em que te afastas,
me deixas o amor mais bonito viver.
Depois retornas
e vem novamente comigo conviver.

Na mesa apenas um prato, um copo.
Ando pela casa sozinha,
em pensamentos busco quem amo por companhia.
Preparo minha cama vazia...
Penso em meu amor, nostalgia...

Solidão,
não faz isto comigo não...
Ficas aqui,
e me colocas a recordar
das poucas horas em que tenho o privilégio
de nos braços de meu amor estar.

Olho pela janela e sei que não vou avistá-lo
Nenhum toque do telefone
o silêncio a quebrar...

Te abraças em mim mais forte
solidão,
eu não te agüento não...

Mais um dia na tua companhia.

(Cora Maria)



terça-feira, 10 de abril de 2012

Não me Desprezes


Não, meu amor, não me despreza agora
Neste momento de fragilidade,
Quando pressinto já minha saudade
De ouvir teu riso vindo lá de fora. .

Agora não, amor ... espera emudecer
A dor gritante que me invade a alma.
Só mais um pouco ... fica ... põe-te em calma.
Eu te prometo não te aborrecer.

É bem possível que ao calar-se a dor
O teu perfume venha de uma flor
Que já brotada está no meu jardim.

Nesse momento, eu sei , ficarei bem:
Quando ao meu lado não houver ninguém,
O teu perfume há de chegar a mim.

( Silvia Schmidt ) 




sábado, 7 de abril de 2012

Não me Tires o teu Sorriso


Tira-me o pão, se quiseres, tira-me o ar, mas não me tires o teu riso.
Não me tires a rosa, a lança que desfolhas, a água que de súbito brota da tua alegria, a repentina onda de prata que em ti nasce.
A minha luta é dura e regresso com os olhos cansados às vezes por ver que a terra não muda, mas ao entrar teu riso sobe ao céu a procurar-me  abre-me todas as portas da vida.
Meu amor, nos momentos mais escuros solta o teu riso e se de súbito vires que o meu sangue mancha as pedras da rua, ri, porque o teu riso será para as minhas mãos como uma espada fresca.
À beira do mar, no outono, teu riso deve erguer sua cascata de espuma, e na primavera, amor, quero teu riso como a flor que esperava, a flor azul, a rosada minha pátria sonora.
Ri-te da noite, do dia, da lua, ri-te das ruas tortas da ilha, ri-te deste grosseiro rapaz que te ama, mas quando abro os olhos e os fecho, quando meus passos  vão, quando voltam meus passos,nega-me o pão, o ar, a luz, a primavera, mas nunca o teu riso, porque então morreria...
(Pablo Neruda)


quinta-feira, 5 de abril de 2012

ALGUMAS DAS MELHORES COISAS DA VIDA






ALGUMAS DAS MELHORES COISAS DA VIDA



"Descobrir que o amor é eterno e incondicional.
Abraçar a pessoa que você ama."

Desculpe-me!




"Desculpe-me...
por ter tanto medo do amor,
e por amar tanto quanto é possível amar".

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Canção do Abandono






CANÇÃO DO MEU ABANDONO



Não, depois de te amar não posso amar ninguém!
Que importa se as ruas estão cheias de mulheres
esbanjando beleza e promessa
ao alcance da mão?
Se tu já não me queres
é funda e sem remédio a minha solidão.

Era tão fácil ser feliz quando tu estavas comigo!
Quantas vezes, sem motivo nenhum, ouvi o teu sorriso
rindo feliz, como um guiso
em tua boca?

E todo momento
mesmo sem te beijar eu estava te beijando:
com as mãos, com os olhos, com os pensamentos,
numa ansiedade louca!

Nossos olhos, meu Deus! nossos olhos, os meus
nos teus,
os teus
nos meus,
se misturavam confundindo as cores
ansiosos como olhos
que se diziam adeus...

Não era adeus, no entanto, o que estava em teus olhos
e nos meus,
era êxtase, ventura, infinito langor,
era uma estranha, uma esquisita, uma ansiosa mistura
de ternura com ternura
no mesmo olhar de amor!

Ainda ontem, cada instante era uma nova espera... Deslumbramento, alegria exuberante
e sem limite...

E de repente,
de repente eu me sinto triste como um velho muro
cheio de hera
embora a luz do sol num delírio palpite!

Não, depois de te amar não posso amar ninguém!

Podia até morrer, se já não há belezas ignoradas
quando inteira te despi,
nem de alegrias incalculadas
depois que te senti...

Depois de te amar assim, como um deus, como um louco,
nada me bastará, e se tudo é tão pouco...

... eu devia morrer...

(J.G. de Araujo Jorge)



terça-feira, 3 de abril de 2012

Eu me amo






Mais que vencedor



Talvez,
alguém tenha dito que você não
serve para mais nada,
talvez, por estar sem dinheiro,
os amigos se afastaram e os parentes
desapareceram.

Sei lá,
talvez endividado e cheio de problemas,
tem sofrido humilhações dos cobradores,
sendo constrangido e humilhado.
Entristecido com um amor que
não deu certo,
com uma traição que você não aceita,
abandonado em dores pela morte
de um ente querido,
talvez o seu maior apoio,
sua alegria.

E tudo e todos, dizem para você,
que você não tem mais valor,
que a sua vida não vale mais nada,
que não vale a pena lutar,
mas,
eu te digo que você tem um valor
especial para Deus,
que Ele se importa com você,
sabe da sua dor,
do seu sofrimento e lhe pede,
com carinho e atenção:

Tende bom ânimo!
Isso mesmo, ao saber que você é amado,
que você importa para alguém
tão especial,
Deus quer que você semeie a esperança
para pessoas que por incrível que pareça,
estão em situação muito pior que a sua...

Lógico que não dá para comparar
uma dor pessoal com outra,
mas dá para perceber que o sofrimento
se espalha pelo mundo e quando
acordamos meio tristes,
vamos acumulando energias negativas
durante o dia e no final da tarde
já estamos derrubados,
sem forças e quando a noite chegar,
a depressão vai nos encontrar
prontos para cair de vez.

Não permita que a dor se instale em você.
Não aceite sugestões negativas
de quem nem te conhece,
não sabe da sua capacidade,
não conhece essa força que eu sei
que você tem, e se nesse momento,
no seu rosto, brilhar uma luz,
se brotar um sorriso de esperança,
pode apostar que você foi tocado,
e no seu semblante, poderemos ver,
com clareza, a face de Jesus,
e você será mais do que vencedor.

Não desista de você, nunca!

Eu acredito em você!

( Paulo Roberto Gaefke )


Impossível enquadrar o que lateja, 
o que arde, 
o que grita dentro de nós 

( Clarice Lispector)

domingo, 1 de abril de 2012

Eu não me Atrevo




O amor que não veio…


Se acaso penso em ti, me inquieta o pensamento…
por que havias de vir assim tarde demais?
bem que eu tinha de há muito um cruel pressentimento,
– e há sempre um desespero em nós,
se num momento
desejamos voltar a vida para trás…

neste instante imagino o que teria sido
o meu vago destino desorientado,
se antes, eu já te houvesse um dia conhecido,
a esse tempo, meu Deus!...— e esse tempo perdido
pudesse ao teu convívio ter aproveitado!

não há nada entre nós, nada… e em verdade há a vida
que nos chama e nos prende!… e já agora imagino
que aqui estás ao meu lado a ouvir-me comovida
e me entregas a mão, — e entrego-te vencida
a minha alma, — e com ela todo o meu destino!

não há nada entre nós, — mas se nos encontramos
ouvirás de hoje em diante um poema onde tu fores,
– trouxemos o destino estranho de dois ramos,
separados, — que importa? ainda assim nos juntamos
confundindo as ramagens, misturando as flores…

e eu nem te vi direito! um olhar sob um véu,
(há qualquer coisa estranha num olhar velado…)
– um olhar, — não direi que em teu olhar há um céu,
quando sei que afinal há tanta angustia e fel
em tudo o que me tens da vida revelado!

acompanhei-te o vulto um segundo, alguns passos,
nada mais, e no entanto, se quiser pensar
sou capaz de te ver, (há gestos nos espaços,
e guardei a visão dos teus braços, — teus braços
guardei-os, como dois clarões dentro do olhar!)

e devem ser macias as tuas mãos, — não ouso
pensar no que elas guardem nos seus finos dedos,
– pensando em tuas mãos, penso em sombra, em repouso,
num lugar quieto e bom, e num vento amoroso
a soprar entre as folhas múrmuros segredos…

mas… que saibas perdoar estas coisas que escrevo,
pensei-as a escutar distante a tua voz,
e há algumas coisas mais, que a dizer não me atrevo,
é que escrevo demais, e não posso, e não devo,
e não tenho o direito de falar de nós…

(J.G. de Araújo Jorge)


Pedi aos céus para que me levasse a você, e dentre as nuvens um anjo veio tomando-me pela mão, levou-me até onde estarias e lá deixou-me, sobre alvos lençóis de seda!... 
Eis que surge você, em meio a névoa do desconhecido tomando conta de mim, agora não saberei mais viver sem você, AMOR! 

(PAULO NUNES JUNIOR)