sexta-feira, 31 de maio de 2013

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Estar à Altura do Amor



Entregar-se ao amor pode ser muito mais assustador...

Talvez seja o mais seguro rejeitar primeiro do que enfrentar o medo de não estar à altura...

O Eneagrama no Amor e no Trabalho- Helen Palmer

segunda-feira, 27 de maio de 2013

O Amor não Cansa nem se Cansa


O amor é bondoso, meigo, alegre, transparente...

O amor é a característica da atitude cristã. O amor de amizade... deveríamos amar-nos uns aos outros...
Vivemos a partir da fonte do Espírito Santo...
O amor nos habilita a vivermos como vive o Pai e o Filho...
O amor dá vida saborosa e sabor divino a quem o deseja...
O amor não cansa nem se cansa...

Jo 15, 12 Jesus deu a vida pelos discípulos porque os amou atá o fim...

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Castelos no Ar




"Se você já construiu castelos no ar,
não tenha vergonha deles.
Estão onde devem estar.
Agora, dê-lhes alicerces."
(Thoreau)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Declaração do Amor em imagens



Declaração dos Direitos do Amor





Considerando ser o
Amor o maior de todos os agentes de Utilidade Pública,

PROCLAMA-SE O QUE SEGUE:




Artigo 1º
O amor pode apropriar-se de todo e qualquer coração, com ou sem anuência do dono.






Artigo 2º
Em presença de sentimentos inferiores, tais como a raiva, o ódio e o ressentimento, ao Amor é permitido julgá-los e extraditá-los sem direito a reconsideração da pena.





Artigo 3º
O Amor deve ser respeitado em todas as suas formas, sejam elas dirigidas a pessoas, coisas, vegetais ou animais.

Artigo 4º
Ao Amor é sempre permitida a companhia do perdão, pois que sem este Ele está falsificado.


Artigo 5º
O Amor tem o direito de ficar cego, surdo e mudo quando em presença de maledicências e pode apresentar-se como agente de paz diante de desarmonias e atos prejudiciais a todos os seres do Planeta.





Artigo 6º
O Amor tem licença plena para manifestar-se livremente, independente de raça, credo ou religião. Ele é incondicionalmente livre para viver em seu habitat natural: o coração.


Artigo 7º
O Amor é bússola que aponta o caminho para a Felicidade e assim deve ser indiscutivelmente reconhecido.





Artigo 8º
A todo aquele que banir o Amor do seu coração será imputada a pena de solidão, isolamento e sofrimento perpétuos.


Artigo 9º
O Amor nunca deverá ser responsabilizado por dores, perdas ou danos e tem amplos poderes para neutralizar todas as batalhas, sejam elas emocionais, familiares ou sociais.








Artigo 10
Ao Amor não se aplicam Leis Trabalhistas: Ele pode exercer suas funções 24hrs por dia durante TODOS os dias do ano.



Artigo 11
Quando o Amor entra em corações, deve ser bem recebido, bem tratado, bem nutrido e absolutamente livre para agir em prol de todos os envolvidos por Ele.





Artigo 12
Em nenhuma hipótese o Amor deverá ser álibi para atitudes de más intenções, tais como usá-Lo como desculpa para enganar, iludir ou controlar corações.
Também nunca poderá ser instrumento de brincadeira com o sentimento do homem ou da mulher.

Artigo 13
Toda e qualquer tentativa de matar o Amor será tratada pelo Universo como crime contra a vida do próprio mandante.


Artigo 14
O Amor é partidário da Lei de Causa e Efeito: Ele pode partir em definitivo da Vida daqueles que optam pelo sofrimento diante das adversidades, e também daqueles que se deixam cair em abandono.

Artigo 15
Ao Amor nada deve ser acrescentado e Dele também nada retirado, posto ser o mais perfeito de todos os sentimentos e manifestação absoluta de Deus.

Parágrafo Único:
Os Direitos do Amor sempre protegerão os legítimos Direitos de Todos os Seres.
= REVOGUEM-SE TODAS AS DISPOSIÇÕES EM CONTRÁRIO =


( Silvia Schmidt )


quinta-feira, 9 de maio de 2013

sexta-feira, 3 de maio de 2013

A Colecionadora de Lágrimas






-A liberdade é como o ar. Tão invisível, mas tão fundamental. Perdê-la é morrer por dentro, é tirar oxigênio da emoção - comentou ela, em estado de júbilo.



-Só sabe seu valor quem a perde - disse ele, fascinado, como se a tivesse resgatado, pelo menos  por alguns instantes.



Depois ela mudou de assunto.



-É uma pena que este restaurante não caiba com frequência no bolso dos professores.



- Mas tudo o que é raro se torna especial. - E acrescentou: VOCÊ É UMA MULHER RARA.



-E você é um homem complexo.



-Isso é um elogio ou uma crítica?



-O que você acha? - disse ela instigando-o, como ele fazia com seus alunos.



-Hummm. Deixe-me ver, um homem complexo pode ser profundo, mas imprevisível, inteligente, mas com preocupações tolas, ousado, mas capaz de sofrer estupidamente pelo futuro. Complexo e complicado são duas características muito próximas.



-Está se descrevendo?



-Talvez - falou ele com um suave sorriso.



-Você acha que eu me apaixonaria por um  homem comum? - ela o questionou.



-Creio que não.



-Toda mulher inteligente escolhe homens complicados para se relacionar. - disse ela com seu refinado humor. Ele deu uma gargalhada e a interpretou.



-Sou um homem complicado, mas EU TE AMO- falou, num tom mais alto, para que quem estivesse próximo ouvisse.



-Obrigado por não desistir de mim.



-Para onde fugiria? Se durmo, você está em meus sonhos; se viajo, levo-o comigo; se estou tensa, você faz parte da minha ansiedade...



-Eu  sei. Sou um homem pegajoso.


Texto extraído do livro de Augusto Cury: O Colecionador de Lágrimas

Estrela na Aurora



"Não importa o tempo que passe, a idade que tenhamos, os anos que alisem nossos cabelos e nossa face...
Junto de ti, me sentirei criança, menina, mulher, senhora, dama, bailarina, Estrela na nossa aurora!"