sábado, 22 de fevereiro de 2014

Memórias Lindas


"Fiquei feliz demais, meu amor."
Diz você após uma visita.
Você passou noites e noites sobressaltada. 
Também senti o frio na ansiedade, querida.
Amo-a muito desde que a conheci. 
"A varanda, ah! a varanda...
Com é bom amar e como faz sofrer!"
"Quanta , quanta saudade, meu amor."
Isto logo após uma viagem. 
É... passagens difíceis essas.
E a ausência e a grande saudade, as cartas, os bálsamos da ferida de nossos corações, não é, minha querida noiva?
"Estou com vontade que o tempo passe depressa para ser sua, eternamente."
É verdade, meu coração, é inevitável. 
Meu coração palpitando de esperança e  fé ao aproximar-se o nosso enlace, querida.
"Se o amor não fosse o alicerce de nossas vidas, elas não significariam tanto."
Isto mesmo, amor!
"Vamos lutando e tudo chegará ao seu fim emoldurando de eternas alegrias."
Enleva-me a alma os seus pensamentos graciosos. 
"Está um silêncio... só ouço o trilhar dos pássaros..."
É...
"Eu desejo casar em Julho, só se você, definitivamente, não puder".
É verdade!
Quem diria, hein?
"Meu São José da terra..."
Sou muito feliz e você também o é!"
Assim, querida?!
Que fé! Cada abraço!
Eita delícia!
"São José há de nos auxiliar na travessia desta vida."
Isto mesmo, minha querida noiva!
"Não sinto receio de nada, conto com a nossa Suprema Compreensão."
Assim é que deve ser, Maria e mais: cada um deverá cumprir o seu dever do melhor modo possível, não é?
"Será um mundo de esplendor o nosso amor conjugal."
Que assim seja, meu doce amor!

(Continua)...

Um comentário:

  1. Bom dia querida Orvalho.. tuas cartas são no fundo lindas poesias talhadas de amor.. adoro este jogo de amor onde os dois dialogam.. não sei fazer desta maneira.. mas curto muito bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir