terça-feira, 1 de abril de 2014

Amor Real


"Em relacionamentos, laços mantêm pessoas mais unidas do que algemas." 
(Marcio Kühne)

Sinceramente, Maria, não tenho medo de viver com você dentro dos princípios cristãos e sociais. 
Estudei-a durante a nossa divinal viagem: estudei-a no período em que carteávamos; estudei-a em nosso namoro e, finalmente, durante o nosso noivado.
No princípio, fiz estes estudos em plena razão ( o meu melhor estado para o passo que vamos dar): em seguida, apaixonadíssimo, daí segui trocando sentimento de paixão para amor.
Observei-a,querida Maria, sempre pelo prisma da honesta intenção, da verdadeira paixão e do amor sem definição, do verdadeiro amor, creio cegamente. 
Tenho plena certeza de que sempre a amei, desde aquele sublime momento. 
Sei; ama-la-ei eternamente. 
Tenho pena certeza de que sempre a amei, e, por isso, tenho rogado a Deus para me possibilitar toda a vida com você, minha Maria.
Pode acontecer qualquer coisa diferente de tudo o que desejei para nós, mas... jamais poderei libertar-me deste amor que é tudo para mim e no qual deposito orgulhoso toda a minha fé.
Considero este nosso amor, como o meu "amor e salvação".
Sempre procurei fazer justiça; a justiça que minha inteligência me permite observar; gosto de ser justiçado e evito ofender para não ser ofendido. 
Tenho exposto, neste final, alguma coisa mais séria: menos ilusória, menos sonhadora, mas de profunda razão de ser, creio. 
Sou cuidadoso com as coisas que comigo se relacionam, para evitar injustiças. 
Acho cabível, nas diretrizes destas linhas, o que tenho exposto.
Dir-se-ia que o momento é de sonho, de poesias, de romance; justamente por isso, digo eu, é que enquadro certas observações aqui. 
Quero esclarecer; quero fazer-me entender melhor; quero, enfim, providenciar ventura, felicidade e este é o verdadeiro momento.

2 comentários:

  1. Amor Salvação, que coisa linda. O Amor verdadeiro salva, com toda certeza.
    Belíssima!!
    Um abraço.

    ResponderExcluir