terça-feira, 28 de outubro de 2014

Código de boas Relações Entre Esposos



- Querer ser cônjuge de outro

-Compreender que cada um tem suas próprias necessidades.

-Valorizar mutuamente as diferentes qualidades e compreender as falha.

-Cada um respeite a personalidade do outro como gosta que a sua seja respeitada.

-Dar tempo para que o amor que os aproximou amadureça.

-Cultivar a fé religiosa, riqueza espiritual que favorece e fortalece o entendimento entre os esposos.

-Acolher os filhos com alegria, para que a felicidade do casal juntamente com o amor, se consolide.

-Promover momentos íntimos de conversa, de manifestação de amizade, de prova de amor reservados principalmente para os dois,.

-Fortalecer a união do casal para que ela seja fonte de realização, criatividade, renovação na medida em que esta união torne-se uma família: esposos que são pais e se sentem alegres com a presença dos filhos.

-Trabalhar pela formação, estabilidade, desenvolvimento do casal, da família, para que, tornando-se uma realidade feliz, participe da grande comunidade social e religiosa.

domingo, 26 de outubro de 2014

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Amor com Amor se Paga


Quem nunca ouviu que amor com amor se paga?
Eu concluí, pela vida afora, que a falta de amor com ele se paga...

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

sábado, 18 de outubro de 2014

Às Vezes, Recebo Amor


“Não posso perder um minuto do tempo que faz minha vida. 
Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e, às vezes, receber amor em troca.”
(Clarice Lispector)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Engodo no Amor


A pretensão de tornar-se feliz com outra pessoa ou pretender torná-la feliz é um engodo, a duras provas. 
É que o sofrimento levar-nos-á a tomar consciência disso: Tu + eu + Cruz de Cristo...

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Amar a seu Modo




Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; 

essencial é que saiba amar.
(Machado de Assis)

sábado, 11 de outubro de 2014

O Amor é Presente




O amor conduz o ser humano a sui mesmo com sua verdadeira essência. Ele corresponde ao ser mais íntimo.
O amor não se vangloria. Ele não precisa aparecer, envaidecer-se ou inflar-se.

O amor não procura vantagem própria, não busca pelo que é seu; ele não gira em torno do próprio eixo; não precisa se impor para que simplesmente está presente. Ele não usa o outro para si, mas lhe é útil; não espera do outro a felicidade, mas quer fazê-lo feliz.

O amor reage apropriadamente. Ele diz respeito ao momento presente.

6ª apresentação

Estou aqui:
http://vendedordeilusao.blogspot.com.br/2014/10/prosas-poeticas-na-6-apresentacao-traz_11.html

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Eu sei Amar



"Eu sei amar.
Mas não sei fugir.
Por isso, não tente me parar.
Não me peça para não ir.
Não me diga pra tomar cuidado.
Eu não sei amar mais ou menos.
Quando eu decido, eu vou.
Me entrego, me arrisco, me corto, me estrepo,
azar meu, sorte minha que nasci assim:
Vim ao mundo para sentir..."

(Fernanda Mello)

terça-feira, 7 de outubro de 2014

O Amor de Deus (V)




"A substância não corrompida do nosso ser é o amor. 
E somente se abrimos nosso olhos para esta realidade mais profunda, nos tornaremos verdadeiramente humanos.
Então não seremos mais determinados por nosso ferimento e humilhações mas para o amor e transforma nossas chagas, moldando-as em clamor por amor. 
Somente quando descobrimos o amor de Deus no ‘chão da nossa alma’ cessaremos de procurar, ansiosa e avidamente, por fora, no mundo, a satisfação de nossas necessidades.
A cura é possível se experimentarmos amor e pessoas nos amarem sem restrições e quando reconhecerem no amor humano infinito amor de Deus.
A fé no amor de Deus não é uma droga milagrosa que funciona em qualquer ferimento. 
Creio que ela me ajuda a confrontar, sem angústia, com minhas feridas. 
O amor de Deus é, para mim, uma atmosfera terapêutica, onde posso retirar as bandagens de minhas chagas para que a expiração curativa de Deus sopre sobre eles."

domingo, 5 de outubro de 2014

O Amor de Deus (IV)



"O amor determina seu prensar, sentir, querer, agir. Ele permite uma nova qualidade de vida, uma nova percepção de si mesmo. Ele transforma a pessoa e lhe concede um brilho próprio.

O amor faz com que a vida valha a pena ser vivida.

O amor é bondoso, a palavra grega quer dizer que o amor se comporta bem, franca e integralmente que é salutar, faz o bem para os outros e lhes traz cura interior.

O amor não é ciumento. A palavra grega para ciúme provém da ideia de que alguém ferve interiormente, que efervesce e é remexido fortemente pela paixão. O amor tem outra característica: irradia quietude e independência dos outros."


sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Amor de Deus (III)



"Expressamos nosso amor por uma pessoa através de gestos, abraçamos, tocamos suas mãos, a beijamos. Os gestos de oração têm a mesma dimensão dos gestos humanos de amor. A esse respeito, especialmente, o gesto de mais é para mim o gesto de amor por excelência. Quando contemplo Jesus na cruz, como abre seus braços, sinto-me abraçado por Ele.

O amor pode transformar o corpo como o faz a doença, mas apenas o amor não correspondido faz adoecer. Quando duas pessoas se amam, esse amor tem força curativa.

Nós não podemos comprar o amor de uma pessoa, somente podemos aguardar por ele que nos seja presenteado. Assim também o é em relação ao amor de Deus. Não podemos forçá-lo através da oração ou de meditação, tampouco através da renúncia ou do seu desfrute mas podemos nos abrir por ele; pois já está conosco, nos envolve em tudo:  na flor que exala sem perfume e no pássaro que canta. Tão somente precisamos perceber o Amor em nós."

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Amor de Deus (II)



"Sempre que um ser humano é inteiramente possuído por algo, também o seu corpo é abrangido. Sempre crer em Deus não somente com a cabeça, mas o experimentarmos em nosso coração e com todos os nossos sentidos, então todo o nosso corpo será atingido.

O que é amor, este pode amar sempre e em qualquer lugar, dele em amar o amor, mesmo que eu não viva uma relação estável com uma outra pessoa.

Por querer amar realmente, muitas vezes basta a respiração da pessoa amada. Ele sente na respiração conjunta com este amor, fluir dentro de si e a conectar de forma profunda ao outro. Na respiração eles se tornaram um. Que sente este amor humano, atenta e conscientemente, também sentirá o amor de Deus ao se relacionar de forma zelosa consigo."