sexta-feira, 3 de abril de 2015

Por acaso (IX)


Por tudo o que, pelo sentido,
Pode neste mundo ser aprendido,
E tudo o que pode ser compreendido
Embora isso seja muito elevado
Nem por graça e beleza
Deixar-me-ei perder
Mas só por um não sei o quê
Que se alcança por acaso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário