quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Um Canto de Amor (II)


Que doce acordar para a alma purificada
Que clara manhã e que dia
Em vossos átrios tranquila Trindade
Será cantado ao Rei da humanidade
Um canto de amor por toda a eternidade.


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Meu Noivo


Adoração ao Noivo

Que, meu Jesus, faz feliz tanto amor?
Minha alma canta e jubila sem fim,
Jesus, eterna alegria!

Fonte de eterna alegria, o Jesus!
Gente feliz nos torna Tua luz,
Jesus, eterna alegria!

Fonte que em meu coração vem jorrar
Em alegria a dor transformar,
Jesus, eterna alegria!

Ao pecador, Jesus perdão traz
E bem aventurado o fez;
Jesus, eterna alegria!

Já hoje, os céus Tu fazes descer,
Sempre que alguém se arrepender;
Jesus, eterna alegria

Felicidade profunda e sem paz,
Tu, ó Jesus, nos vens preparar,
Seja nos céus ou na Terra.

Feliz a jubilar estou,
Pois noiva de Jesus eu sou,
Me escolheu para amá-Lo.

Meu coração está a pular
De alegria  a exaltar
Jesus, meu Rei Amado.

Na alegria ou na dor
Eu amo só ao meu Senhor,
Pois Ele é incomparável.

Eu tenho de amá-lo assim,
Pois ele é tudo para mim:
Meu noivo e meu tesouro.

Jesus, te exalto, ninguém a Ti é igual
Na terra ou no rieno celestial,
Ninguém jamais a Ti igual será
Jamais alguém tua glória alcançará,
Ó meu Jesus!

Meu coração jubila sem cessar,
E nele um nome sempre está a soar:
Jesus, Jesus, meu único Amor,
Sou tua noiva e possessão, Senhor!

sábado, 15 de agosto de 2015

Um Canto de Amor


Neste dia as colinas brancas com leite
Destilarão mel e doçura
Bem longe estarão os vales da terra
E tereis esquecido a infelicidade
O Anjo de Des dirá: o tempo não mais existe!
Os séculos da morte já se cumpriram
Iluminando até mesmo os Mistérios
A verdade trará uma diadema
E a sabedoria com a caridade
Cantarão seu bem aventurado poema.
Um canto de amor por toda eternidade.

sábado, 8 de agosto de 2015

Canto de Louvor ao Amor (II)


Eu sei que a alma para dar seu fruto
Deve despojar-se de seu vestido primaveril
Trazer em si os estigmas do Cristo
Viver morrendo de angústia e de  miséria
Na agonia esquecer a volta
Dos dias de paz que lhe promete o amor.
Para que repouse no meio dos espinhos
O coração que sofre estes tormentos divinos   
É preciso, Senhor, que a voz do Verão
Preludie enfim e comece em surdina
Um canto de amor por toda a eternidade.

Canto de louvor ao Amor


Este tempo não existe, minha alma está abandonada
Meus olhos nunca mais verão a felicidade
Que espinhos a mim – teu amor – feriu
Teu ciúme devastou meu coração
Se procurei a alegria e o fervor
Fora de tua via, poupa-me, Senhor
Dos grandes pecadores contempla o júbilo
E a dor de que muito me fazer provam
Minha esperança está toda em tua bondade
Que tua piedade e meu martírio trancem
Um canto de amor por toda a eternidade.

sábado, 1 de agosto de 2015

O Amor e Deus


Amar alguém é dizer-lhe: Tu não morrerás!

O indissolúvel entre duas pessoas: Deus!

Não seria o amor humano, inclusive na sexualidade, um eco do amor divino?
Deus criou o homem à sua Imagem e mulher os criou.
Gn 1, 21