sábado, 8 de agosto de 2015

Canto de Louvor ao Amor (II)


Eu sei que a alma para dar seu fruto
Deve despojar-se de seu vestido primaveril
Trazer em si os estigmas do Cristo
Viver morrendo de angústia e de  miséria
Na agonia esquecer a volta
Dos dias de paz que lhe promete o amor.
Para que repouse no meio dos espinhos
O coração que sofre estes tormentos divinos   
É preciso, Senhor, que a voz do Verão
Preludie enfim e comece em surdina
Um canto de amor por toda a eternidade.

Um comentário:

  1. Roselia Querida.
    Como vai vc minha amiga ?
    Muitas coisas aconteceram nesses últimos tempos mas jamais esqueci de vc amiga.
    Eu não te vejo mais mas eu ainda não sei mexer direito nessa coisa moderna.
    Amiga te gosto muito apenas estou passando por uma avalanche .
    Mas creio no meu Deus amiga tenho que lutar e confiar ,
    pois a cada dia tem ovas acontecimentos .
    Um abraço bem apertado .
    Da sua amiga.
    Evanir.

    ResponderExcluir