domingo, 30 de abril de 2017

Esperança (I)


Não abandono sonhos e desejos...
Interpelo dinamismo incessante,
Tenho força de recomeçar
Dou a outra face...

Tenho meu lado luz e lado sombra,
A oscilação do pêndulo não me poupa,
Entre fluxos e refluxos,
Sem bipolaridade emocional...

Força entusiástica,
Não excesso de expectativa,
Fase seletiva de escolha de caminhos,
Ação desmedida do ânimo,
Equilíbrio satisfatório...

A fantasia não vai embora,
Não retiro meus pés do chão,
Enraizo meu sonhar...

Bifurcação no caminho?
Acordo o ato de questionar!

Decido em consciência,
Ponho em dúvida o inquestionável,
Reinauguro a palavra porquê,
Vou bem fundo às raízes...

Esperar é Amar?

Amadureço e enxergo,
Cultivo a amplitude do Amor...

Linearidade amorosa? 
Eros  se transforma em Ágape!

Tendência natural,
Dentro do Amor amplo,
Tenho de optar...


Um comentário:

  1. Um poema que te define tão bem
    hein amiga!
    Ótima noite!
    Bjs!

    ResponderExcluir